sexta-feira, dezembro 08, 2006

Tédio em Lá Maior



Ensaio um poema nobre
na curva das horas vagas
as nuvens desvendam o escuro
da noite que não se acaba.

Atenta, reverto o ócio
transformando em poesia
a brusca poeira densa
que rege a monotonia.

A morte é a estrela guia
namora e quer enlaçar
o dorso do ser humano
que foge a perambular.

A vida e os seus mistérios
refletem cada momento
nas linhas do meu poema
feito pra passar o tempo.


Goimar Dantas
Santos, 1992.

Um comentário:

Fred disse...

Que jeito bonito de passar o tempo.