sábado, maio 15, 2010

A saga do lançamento 4 - O sertão


Auditório lotado no Campus da UFRN, em Currais Novos.

E para encerrar a série sobre os lançamentos da biografia Cortez – A saga de um sonhador, aqui vai o post dedicado aos autógrafos e palestras realizados no campus da URFN, em Currais Novos, no Sítio Santa Rita, a uns 30 quilômetros da cidade e na Câmara Municipal do Município de Campo Redondo. As viagens só não foram melhores porque na sexta de manhã, quando já estávamos de malas prontas para pegar a estrada na direção de Currais Novos, Teresa precisou voltar às pressas para o Recife devido a uma emergência familiar. Restou a mim e a Cortez fazer o máximo para representá-la à altura.



No campus da UFRN, em Currais Novos, fomos recebidos com grande expectativa. Assim como no evento da mesma universidade, em Natal, tudo correu sob a organização da professora Maria das Graças Soares Rodrigues, que entrevistei em 2008, no começo das minhas pesquisas sobre Cortez. Graça providenciou um evento inesquecível em Currais Novos: fomos aguardados com banda de música...



...decoração e comidas típicas nordestinas...





...e emissoras de rádio e televisão.



Essa moçada bonita aí da foto, alunos do curso de Turismo da UFRN, ficou responsável pelo cerimonial do evento. Todos muito simpáticos e gentis.



Os estudantes prepararam até vídeo em homenagem ao editor, também agraciado com placas e outros mimos presenteados pelas autoridades locais. Não deu outra: Cortez ficou muito emocionado e embargou a voz umas cinco vezes quando foi agradecer as homenagens.



Quanto a mim, não embarguei a voz, mas precisei me segurar para não borrar a maquiagem. É que alguns integrantes de minha família, que moram em Japi, cidade distante uns 60 quilômetros de Currais Novos, fizeram uma linda surpresa e foram ao campus da UFRN conferir o evento. Estavam lá: tio Arnaldo (incrível personagem da história da minha vida, sobre o qual já falei aqui), meu primo Maciel, sua esposa Adriana e o filho deles, Antoniel. E ainda havia o querido amigo Gilberto Cardoso dos Santos, professor que conheci através de Maciel.



Em Campo Redondo, por sua vez, também houve banda de música (que esqueci de fotografar...), presença de autoridades, professores, alunos...



...e uma linda apresentação de sanfona, capitaneada por Zé Nilton, primo de Cortez, que, por sinal, tem uma cena de sua infância descrita na primeira parte do livro, assinada por Teresa Sales.



E eu precisaria de umas mil linhas pra descrever toda a gentileza dos familiares de Cortez que, por onde quer que passássemos nessa trajetória, nos recebiam com um amor e um carinho indescritíveis.



No mais, foi lindo fazer o lançamento e o bate-papo sobre biografias no Sítio Santa Rita, lugar onde Cortez passou a infância e adolescência.







Para muitos convidados, foi a única oportunidade, até o momento, de presentear um evento dessa natureza. Inesquecível! Confesso que já estou com saudades de tudo isso, mas, a bem da verdade, não terei muito tempo para a melancolia que poderia nascer desse sentimento. Isso porque a partir da próxima segunda-feira, dia 17, entro de cabeça (e com um atraso de cinco meses!!!), nas pesquisas e entrevistas que darão início ao meu próximo livro. Ou melhor: já comecei as pesquisas há quase dois anos (mas tudo muito devagar,juntando material aqui e ali, lendo um texto acolá, ampliando e corrigindo a redação do projeto, visitando e fotografando lugares). Mas, só agora, a maratona de entrevistas, novas pesquisas e leituras terá início pra valer.

Desejem-me sorte! E obrigada pela companhia na Saga de Cortez!

10 comentários:

Júbilo Jacobino disse...

Sorte amiga e obrigado por essa viagem que só você com a fluidez das suas idéias e sua educação muito peculiar, própria de uma boa menina, poderia me proporcionar.
Um beijo pra Tatá, já que vi no post posterior (... post posterior! Fui eu que escrevi isso?) que é o niver dela.

poesia potiguar disse...

Oi, Júbilo!

Eu é que agradeço sua presença na boléia desse meu caminhão baú virtual especializado em andanças, mudanças e histórias pra contar.

Espero, sinceramente, que você prossiga me acompanhando pelas estradas e veredas das próximas histórias, versos e reversos. Até porque o sonho de todo mundo que escreve é ter boa companhia em suas aventuras. Uma boa companhia que, veja só, também é conhecida pela nome de "leitor".

Obrigada sempre!

Julia disse...

Que festa maravilhora Goimar. Parabéns a todos que se comprometeram com essa investida. Não só a equipe de São Paulo (Livraria e Editora), mas também ao pessoal da Potylivros. Do sítio Santa Rita só ouvi comentários positivos e estão todos vislumbrados com o acontecimento. Mais um ato inédito e de bravura do "Zé de Mizaé". Valeu.

Ednilson Xavier

poesia potiguar disse...

Oi, Ednilson!

É isso mesmo! Todos estão de parabéns! Devo muito a equipe Cortez e também à Potylivros. Quanto ao lançamento no Sítio, sem dúvida foi uma acontecimento que ficará na memória de muita gente ali da região!

Eu só tenho a agradecer por poder participar de tudo isso!


Um beijo em vocês!

julinho disse...

Como havia prometido, estive em Currais Novos, e participei do lançamento do livro aqui. Faço parte da turma que organizou o evento.

Abraço

poesia potiguar disse...

Oi, Julinho!!!

Você ajudou a organizar? Puxa, que maravilha!! Muitíssimo obrigada!

Pena não ter dado tempo de conversar com o grupo de alunos!

Quem sabe em uma próxima ocasião!?

Abraços!

Sou do Seridó disse...

Adorei ver esse tipo de evento ser promovido e veiculado na web. Seu caminho será iluminado por lindas estrelas, Parabéns.
Sou estudante de Turismo mas felizmente não pude comparecer, porisso coloquei um link para essa matéria no site www.soudoserido.com.br como forma de homenagear essa brilhante iniciativa.

poesia potiguar disse...

Olá amigo seridoense!

Obrigada pelas palavras! Saiba que é uma alegria ter você por aqui. Obrigada, também, por divulgar o blog e apreciar nosso trabalho!

Volte sempre!

Abraços!

Anônimo disse...

EM CAMPO REDONDO VOCE NAO ESQUECEU DE FOTOGRAFAR, E QUE SEU FOTOGRAFO PARTICULAR ESTAVA ENTRE OS PARTICIPANTES DA MESA. DE UMA REPARADA, PODE?
UM BEIJO,

poesia potiguar disse...

Você está coberto de razão! De fato, meu fotógrafo particular recebeu uma convocação extraordinária e precisou abandonar o posto por uns tempos. Mas tudo bem! Ele mereceu compor a mesa e eu adorei tê-lo ao meu lado!

beijo pra você!