sexta-feira, fevereiro 13, 2009

O leitor




Na última quarta-feira, dia 11, tivemos uma epifania. Largamos tudo e fomos assistir O leitor. Desde então criei a campanha “Pare tudo e vá ao cinema”. É o mínimo que posso fazer pelos amantes da sétima arte. A crítica se pôs genuflexa em relação ao trabalho magistral da atriz Kate Winslet – e não poderia mesmo ser diferente. A moça, que ganhou o Globo de Ouro pela atuação nesse filme, está impecável na construção de uma personagem de extrema complexidade como é sua Hanna Schmitz – uma condutora de bonde alemã que, nos anos 50, esconde o passado nazista e se envolve com um jovem de 15 anos.

As cenas entre os dois são lindas e permeadas de trechos de romances que o jovem adolescente lê para ela. Com um roteiro sensacional, baseado no romance de Bernhard Schlink, o filme traz, ainda, o excelente David Kross, ator alemão que dá vida ao jovem Michael Berg. É fantástico ver como o menino, literalmente, cresce na trama, se transformando num homem atormentado pelas reviravoltas do destino. Homem esse que, no trecho final da película, é vivido por Ralph Fiennes. Mas você pode ler mais sobre o filme clicando aqui, na resenha do UOL.

E sobre essa resenha propriamente dita, o que mais me impressionou foi o último parágrafo, em que o autor afirma que apesar de Kate mostrar “o talento e a profundidade de sempre” está “muito melhor” no filme Foi apenas um sonho, em que volta a fazer par com Leonardo Di Caprio. Não acreditei. Como assim está “muito melhor”??? E isso é possível???? Caramba...

2 comentários:

gutavo disse...

esse filme foi realmentt foi mito
bom eu chhoro so de ver o triller

leidy disse...

Esse filme ér tudo de boom. Um Romance que cita tudo que me entereça. Histórias de Guerra, Amor, Traição, e o que ér mais importante no filme: Os livros. O Filme principalmente demostra a importancia da palavra , que ér mais do qe nessesario na nossa vida.
By: Caadu!