domingo, julho 19, 2009

Oh, happy days!



Esse post tá muito atrasado. Junho foi um mês intenso: muitos eventos familiares, trabalho, viagens, afazeres. Dia 23 foi a vez do batizado da Tatá. O Yuri atacou de fotógrafo oficial e, não sei por que, cortou o coitado do padre de quase todas as fotos. Mesmo assim, adorei essa em que a Tatá aparece com sua madrinha Cláudia, assim que ergue a cabeça da pia batismal.


Uma das poucas fotografias em que a gente consegue ver o padre Marcos, que é muito divertido, adora cantar e usa costeletas à Elvis Presley. Aliás, esse é o apelido dele: Elvis Presley. Pode?


Assim que chegamos à Igreja, junto com Márcio e Cláudia: os "padrinhos mágicos".


Achei o meu bem meu "Mau" e a Tatá muito fofos nessa foto.


Em junho também comemoramos o aniversário de 13 anos do Yuri. Ele tá lindo, né? E bem mais alto que eu - como é visível nessa foto.


Os convidados mantiveram a esperança até o fim, mas, como o previsto...


O primeiro pedaço foi mesmo para Lorenzo, amigo de todas as horas.


E para encerrar o mês com chave de ouro, recebemos a visita de duas grandes amigas: Aninha e Joana, mãe e filha que moram em nossos corações sem pagar aluguel há 10 anos. Trabalhei com a Ana e até fomos vizinhas durante dois anos, quando morávamos em Cotia. Desde então, desenvolvi uma relação de profunda amizade com Joana que, à época, tinha só 15 aninhos.

Joana sempre escreveu maravilhosamente bem, era a primeira da classe e sonhava ser jornalista. Acompanhei de perto todo esse processo. O tempo passou, Joaninha ingressou em Jornalismo, na PUC, e em Letras, na USP. Formou-se em jornalismo e tive a honra de fazer parte de sua banca de TCC, avaliando seu incrível projeto de livro-reportagem, devidamente aprovado por todos os membros da banca com nota 10.

Pena que Joaninha teve de abandonar o curso de Letras por absoluta falta de tempo, uma vez que trabalha mil horas por dia. Já foi minha estagiária, na Secretaria de Estado de Educação, e me ajudou em outros tantos projetos profissionais. Em seu trabalho atual, se divide entre o jornalismo e a publicidade, mas o coração da moça, eu sei, é de poeta.

Joana fará 25 anos em breve e, sempre que olho para ela, penso: "Meu Deus, o tempo voa!!!" Tenho muitas saudades tanto dela quanto da sua mãe, Aninha, e adoraria que fôssemos vizinhas novamente. E isso inclui, até mesmo, pegar carona diariamente com a Aninha e me perder com ela por toda a São Paulo. Nossa... Quantas aventuras vivemos juntas pelas ruas da cidade!!! Isso vale um post exclusivo porque, diferentemente de mim, Ana é corajosa e dirige, mas, assim como eu, a coitada também não tem o menor senso de direção. Resultado: quando íamos juntas a algum evento de trabalho, após o expediente, fatalmente nos perdíamos. Tínhamos uma química estranha e parece que atraíamos confusões que geravam situações absolutamente tragicômicas que incluem até mesmo a polícia apontando arma pra gente.

O PM tava lá fazendo o trabalho dele, coitado, impedindo o tráfego pra garantir a passagem de um carro-forte ou algo assim. Uma situação comum em São Paulo. Mas, ao se aproximar com o carro, Ana se desesperou ao ver o policial com aquele baita fuzil a poucos metros de nós. Em vez de parar o veículo, como faz todo mundo, acelerou feito doida e saiu correndo, arriscando nossas vidas. Nunca entendi o motivo, mas a verdade é que ninguém veio atrás da gente. Sei lá, podiam pensar que éramos bandidas, traficantes, sequestradoras, fugitivas... Mas acho que viram nossas caras de "Didi e Dedé" e perceberam se tratar de duas trapalhonas de marca maior.

Passado o susto, tivemos um acesso de riso nervoso que durou umas duas horas. Até hoje agradeço por estar viva pra contar a história...rs! Aliás, falando em riso, a gargalhada de Ana é qualquer coisa de sensacional. Que saudade de ouvi-la todos os dias, a cada 10 minutos.

4 comentários:

Joana disse...

Ai, que delícia de encontro! E que bom, em uma manhã de segunda-feira chuvosa, ler todas essas palavras carinhosas...só esqueceu de dizer que vc influenciou muito na escolha deste caminho e desta profissão e ainda influencia em vários outros aspectos dessa vidinha aqui! Amo vocês.

Zilmara Dahn disse...

ai, todo mundo com cara de anjo nesse batizado...e o padre Elvis?
e esse menino espichando dois centímetros por dia? E as gêmeas Ana/Joana?

Quantas transformações num post só. Gravaram Mutantes aí foi? Pede pra equipe ficar mais dois dias que eu super preciso mudar a cor dos cabelos.

bjuuu família!

poesia potiguar disse...

Jo, querida!

Bom é ter vocês na minha vida!

beijos!

poesia potiguar disse...

Zil!!!!!!!!!!!!!!!

realmente "a cara de anjo" das fotografias é impagável. ai, quem me dera!!!! rs!!!!

e quanto à equipe dos Mutantes, realmente não saiu daqui de casa... hehehehheheeh