segunda-feira, outubro 13, 2008

Confissões






A Royal Scottish Academy Building é um prédio anexo à The National Gallery of Scotland. A função desse “anexo” é sediar exposições temporárias, como a de Andy Warhol, intitulada “What’s on?”, que tive a oportunidade de ver em setembro de 2007. Bem... Eu infelizmente não sou especialista em artes plásticas... Quem me dera... Mas isso não é empecilho para expressar o que sinto quando vejo um quadro, um esboço, uma exposição. Sentir é uma coisa... Discorrer com propriedade é outra. E o que eu sinto é que eu não troco a única orelha do Van Gogh pelo Andy Warhol todo...

Sei lá... Eu olho tudo aquilo e digo: “Puxa, legal...” E só. É como Jazz... Nunca rolou pra mim. Nunca achei graça. Escuto um acorde e, pronto! Lá vem bocejo... É batata. Já tentei tomar John Coltrane na veia, mas o máximo a que cheguei foi a uma overdose de tédio. Não adianta. Depois disso, desisti. Sou mais Clara Nunes cantando "Feira de Mangaio". AMO.

Já o que vi na The National Gallery of Scotland... Nossa... Ficava arrepiada, boquiaberta, sem ar... E nem por isso eu sabia se o que estava olhando era dessa ou daquela tendência/corrente. Sei que parecia um sonho ver obras de Raphael, Velásquez, Van Gogh, Monet, Rembrant, El Grego, Degas, Cézanne... Todas, assim, próximas umas das outras...

Isso não quer dizer que eu não aprecie artistas contemporâneos. Ao contrário, adoro Beatriz Milhazes, João Câmara, Janaína Tschäpe, Vick Muniz, Adriana Varejão e, meu preferido, John Nicholson... Não se trata da briguinha Clássicos X Contemporâneos. O que está em jogo é só gosto pessoal mesmo. Sem teses ou muitos argumentos. É sentimento. Puro sentimento.

Mas, voltando ao Andy, confesso que adorei esse inusitado dos organizadores da exposição, que bolaram enrolar as pilastras da Royal Scottish Academy Building com essas ilustrações das latas da famosa Sopa Campbells, tão representativa da arte daquele artista pop. Achei divertido, provocativo, original. Adjetivos que, sei, têm muito a ver com senhor Warhol... Entendo que ele provocou rupturas, discussões, reflexões. Sem dúvida, um artista. Mas a verdade é que nunca me arrepiou a penugem da nuca. Pena. Pior pra mim.


Enquanto isso, arrepiando a minha nuca...

2 comentários:

Francisco Castro disse...

Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Um abraço

deddalus disse...

Mas a verdade é que nunca me arrepiou a penugem da nuca. Pena. Pior pra mim.

Gostei.