quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Discurso de autoridade



- Ei, moço!
Desfaz o nó dessa saudade,
antes que eu morra por falta de ar e de amor.
E para que eu volte a respirar sem perigo,
enlaça minha cintura,
me aperta contra o seu peito,
vira meu corpo do avesso,
rouba meus sentidos,
e me prende,
solitária,
em seu coração.
Depois, joga a chave fora.
E sem demora,
que eu tô mandando!

Goimar Dantas
São Paulo
17/09/05

4 comentários:

Luiz Carlos Rufo disse...

Quero ilustrar um de seus poemas para publicá-lo em meu blog.

bjs

Rufo

poesia potiguar disse...

Oi, Rufo!

Será uma grande honra para mim... Avise-me caso você já tenha se decidido pelo poema a ser ilustrado. Fiquei curiosa.

Um beijão!

Thiago disse...

Ei, ei !

Que lindo !

Parabéns, viu.

Bjinhus

Thiago (Yoga) Rs.

Anônimo disse...

Depois, joga a chave fora.
E sem demora,
que eu tô mandando!

Muito bom !!